Casa12Volts - eficiência quadrivolts, offgrid

A energia elétrica no país: cara e instável

Independentemente da desigualdade social referente à distribuição de renda, o crescimento econômico e populacional, é fato no Brasil que a partir das demandas geradas por essas realidades, também cresce o consumo de energia elétrica no país. 

Atualmente, a matriz da fonte energética brasileira é composta, essencialmente, por hidrelétricas; melhor dizendo, pelo represamento de rios, inundação de áreas ambientais que guardam vidas e histórias de pessoas, além de fauna e flora local, muitas vezes, endêmicas.

Podemos dizer que para a energia elétrica chegar até às casas, escolas ou locais de trabalho, é preciso mudar a natureza do rio e interromper seu fluxo natural para gerar energia.

Frequentemente, o sistema elétrico brasileiro demonstra possuir instabilidade no fornecimento de energia e mostras de incapacidade para atender, com qualidade e presteza, as demandas da população por energia elétrica.

É frequente, também, o registro de apagões e aumentos das tarifas de energia para manter um sistema com sinais de esgotamento e de ser ultrapassado.

Na realidade, o incentivo para instalação de sistemas TIEGRID (que devolvem o excedente da produção de eletricidade para as concessionarias), em casas, empresas e indústias, é apenas uma forma de minimizar a ineficiência da matriz energética vigente no Brasil 

Casa 12Volts - Sede da ONG Verde

Em 1988, a cidade de Petrolândia, no Sertão de Pernambuco, foi inundada para a construção da Usina Hidrelétrica Luiz Gonzaga (também conhecida como Usina Hidrelétrica de Itaparica), que obrigou a transferência dos moradores para outro local.

Casa 12Volts - Sede da ONG Verde

Apagão deixou o país sem energia elétrica em março de 2018. 

A queda de energia se iniciou às 15h48min e só foi completamente restabelecida às 19 horas. Mais de dois mil municípios de 14 estados do Norte e Nordeste do país sofreram com a interrupção total de fornecimento de energia. 

Também houve registro de falta de energia em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal.

Energia elétrica e água quente

Pensando sobre os problemas causados pelo uso coletivo da corrente alternada e pela sua inconstância, a ONG Verde criou o Projeto Casa12Volts, a primeira casa quadrivolts, offgrid e sem conversão para 110 ou 220 VCA do Brasil.

Trata-se de uma casa que trabalha exclusivamente em corrente contínua e utiliza energias solar e eólica para alimentar os equipamentos eletroeletrônicos distribuídos pelos ambientes, que são ligados em 5 volts / 12 volts / 19 volts e 24 volts CC (corrente contínua).

A Casa12Volts é um projeto de energia elétrica sustentável para ligar luzes, wi-fi, smart TV, computadores, geladeira, liquidificador, recarregar celulares, tablets, notebooks, ligar equipamento de som, câmeras de segurança, dentre outras possibilidades.

A eletricidade é proveniente da instalação de placas fotovoltaicas (energia solar), aerogerador (energia dos ventos) e bicicletas para oficinas (energia por esforço físico). 

A instalação elétrica, os pontos de interruptores, tomadas, terminações, caixa de distribuição, painel de produção e consumo de energia (voltagem e tensão) e o banco de baterias são totalmente visíveis.

O principal objetivo da Casa12Volts é de apresentar à sociedade um protótipo de local alternativo em termos de produção, armazenamento e distribuição de eletricidade na qual a moradia é possível com qualidade de vida. 

Importante ressaltar que o aquecimento de água para banhos e uso em torneiras de tanques e pias é realizado a partir do aquecimento solar à vácuo, que eleva as temperaturas da água a quase cem graus centígrados no reservatório térmico.

Público: escolas, universidades, comunidades, trabalhadores e outros.

Aquecimento solar de última geração

Biblioteca Central Verde

Aerogerador doméstico de 500 watts

Biblioteca Central Verde

Placas solares ou fotovoltáicas

Biblioteca Central Verde

Eletroeletrônicos em CC (corrente contínua)

Biblioteca Central Verde

Luzes de LED e painel de tensão e corrente 

Biblioteca Central Verde

Sede da ONG Verde

Horta Solaris na ONG Verde Canastra
Casa12Volts é a primeira offgrid e quadrivolts do Brasil.

É local para visitas, pesquisas e usos de energias solar e eólica em CC (corrente contínua), sem conversão para CA (corrente alternada da CEMIG, concessionária de eletricidade de Minas Gerais).

Os interessados em conhecer a ONG Verde e Casa12Volts podem agendar visitas através do e-mail abaixo ou pelo Formulário de Contato do site.

@ongverde.org

Entenda melhor o que são os sistemas em tiegrid e offgrid


Pelo fim do represamento dos rios!

Biblioteca Central Verde
É imprescindível a sociedade conhecer a realidade do processo de construção e geração de energia pelas hidroelétricas e o governo repensar sobre o atual modelo energético brasileiro para começar a colocar em prática um modelo mais sustentável, preferencialmente de fontes menos poluentes e com baixa emissão de gases do efeito estufa (GEE). Esse será um passo importante para viver em harmonia com a natureza e planejar um futuro mais seguro e com qualidade de vida para as próximas gerações.

Mas, para que isso aconteça, será necessário promover mudanças de paradigmas no nosso meio e no nosso modo de vida. Uma dessas mudanças é o fim do represamento dos rios para geração de energia elétrica. Nossos rios não suportam mais este modelo de exploração que pode resultar em total esgotamento.

A prática de represamento dos rios é muito utilizada no Brasil para gerar energia elétrica e realizar o abastecimento de água nas cidades. Ocorre que isso implica em diversos impactos ao meio ambiente, como extinção de espécies endêmicas, áreas alagadas que modificam ecossistemas, provocam a retirada de pessoas e até o desaparecimento de culturas e de costumes. 

O represamento dos rios impede o escoamento natural e altera a velocidade das águas que, inevitavelmente, afetam a ictiofauna de toda a região, principalmente dos peixes que desovam nas cabeceiras. Espécies endêmicas de plantas e insetos podem desaparecer sem que a humanidade tome conhecimento de sua existência. 

A ONG Verde defende a existência de políticas públicas para o uso de energias renováveis, de forma que o consumidor brasileiro possa gerar a própria energia elétrica a partir de fontes renováveis (solar, eólica, dentre outras) fornecendo o excedente para a rede de distribuição de sua localidade (tiegrid) ou não, para os casos offgrid.

Contudo, para que essa realidade esteja mais próxima do contexto brasileiro, será preciso o incentivo e investimento na produção de eletroeletrônicos funcionando diretamente em corrente contínua (CC), pois a produção desses equipamentos no país ainda está voltada majoritariamente para as correntes alternadas de 110 e 220 volts, embora qualquer produto com fonte conversora externa (celulares, tablets, notebooks, computadores all-in-one e alguns modelos de tv LED, dentre tantos outros) pode ser alimentado diretamente com corrente contínua.

Outro aspecto importante é que os governos incentivem a produção independente de energia sem investimentos em parques eólicos e solares (privatizar o sol e o vento como faz com a água), deixando as residências, comércios e outros com menor consumo produzindo energia a partir de fontes renováveis (tiegrid e offgrid). Os grandes consumidores de energias, tais como fábricas, indústrias e outros continuam abastecidos pelas hidrelétricas já existentes, mas com incentivos fiscais e financiamentos para implantação de sistemas tiegrid.